O que levar em conta ao escolher um servidor dedicado?
Maio 29, 2019 Matérias

O que levar em conta ao escolher um servidor dedicado?

Muito além do preço oferecido pelo mercado, saiba quais são as especificações que você precisa levar em conta no momento da sua escolha e que vão influenciar a experiência do usuário final.

Quando você está buscando um servidor dedicado, também conhecido como bare metal, para a sua empresa, obviamente o valor oferecido é um fator que vai ser levado em consideração até o momento de bater o martelo e efetivamente levar um para casa.

Só que o preço está longe de ser a única coisa que você deve observar. Ao focar unicamente no fator econômico em detrimento das especificações da máquina, você pode ter que desembolsar bem mais do que pretendia, principalmente levando em consideração o crescimento contínuo do ambiente que a sua empresa pode ter.

Como uma forma simples de comparação, vamos utilizar dois processadores da mesma marca, mas com versões diferentes: o Xeon E3-1240 v2 e o Xeon E3-1230 v5. Ambos os processadores são da Intel e costumam ser utilizados por servidores de data center, sendo o primeiro uma versão mais antiga e encontrada por valores mais baixos no mercado.

Manutenção e Disponibilidade de Peças

Primeiramente, utilizar uma versão mais antiga de um componente influencia diretamente na manutenção do equipamento. Uma vez que um processador lançado há algum tempo pode ser descontinuado pela empresa desenvolvedora, o que leva à falta de estoque de peças.

Na prática, caso aconteça algum problema com os componentes do servidor, o número de peças disponíveis em estoque para manutenção é baixo e, eventualmente, você ficará impossibilitado de realizar novas trocas e precisará migrar de servidor.

Memória RAM

A memória RAM é um dos componentes fundamentais para o funcionamento do servidor dedicado, por isso o padrão de memória utilizado também merece sua atenção. A memória DDR3 é um padrão já estabelecido e muito empregado em diversos servidores, mas já existe uma versão mais moderna, a DDR4, utilizada em máquinas mais avançadas.

A DDR4 é uma evolução da tecnologia da DDR3, logo suas especificações foram melhoradas e oferecem vantagens em alguns pontos. Um deles é a frequência da operação. Enquanto a DDR3 opera uma taxa entre 800 MHz e 2400 MHz, a DDR4 trabalha com valores entre 2133 MHz e 4266 MHz. Essa diferença permite que a DDR4 faça mais transferências em um mesmo intervalo de tempo, otimizando o desempenho e a largura de banda.

Além da melhora do desempenho, a DDR4 também conta com verificações de redundâncias cíclicas (CRC), que garantem mais confiabilidade dos dados, detecção de paridade no chip e maior integridade do sinal.

Atualmente, a DDR3 é encontrada com valores mais em conta no mercado, no entanto a DDR4 se mostra como uma opção melhor ao longo prazo, já que o servidor estará mais capacitado para operar em alta performance e mais apto a realização de upgrades futuros.

Capacidade de Expansão de Memória

Servidores de versões anteriores oferecem uma expansão de memória menor do que os mais recentes, ou seja, atingir o limite da memória é mais fácil e vai acontecer mais cedo nos primeiros. Quando o limite de expansão for alcançado, você vai precisar fazer um upgrade do servidor e pagar pela diferença de valor.

Geralmente, a capacidade total de memória de versões anteriores é de cerca de 50% do oferecido por uma versão mais recente. Nos casos dos processadores utilizados como exemplo: enquanto o E3-1240 v2 tem memória expansível em até 32 GB, o E3-1230 v5 chega a 64 GB.

Velocidade de atuação

A distância entre o data center e sua empresa não é longa, sua conexão à rede é boa, a velocidade da internet é considerável. Nenhuma anomalia está acontecendo. Então, por que o sistema está demorando para responder? A velocidade do barramento da memória pode ser uma resposta.

Os barramentos conectam o processador, memória e outros componentes de um computador. Sendo um dos mais fundamentais deles o que trata da memória. O número do barramento é que determina quantos bits ele pode carregar por vez. Quanto menor este número, menos bits carregados e mais lenta é a resposta do sistema.

Ainda utilizando os processadores Intel como exemplo, enquanto o E3 1230 v5 oferece uma velocidade de barramento de 8 GT/s DMI 3, o E3-1240 v2 oferece 5 GT/s DMI. Outro ponto em que a versão mais atual do processador se destaca é na largura de banda máxima da memória 34.1 GB/s, contra 25.6 GB/s da outra versão.

Os HDs utilizados

Como uma forma de oferecer um servidor dedicado com custos menores, pode-se optar por utilizar discos rígidos mais antigos. No entanto, eles oferecem algumas desvantagens em contrapartida.

No HDD (Hard Disk Drive), os dados são armazenados em um conjunto de discos de metal, agulhas magnéticas e uma interface de controle. Sua estrutura externa tem um baixo nível de tolerância a impactos, o que pode acarretar na perda de dados quando ele sofre um choque físico. Já o SSD (Solid State Drive) é composto por diversos chips interconectados, sem partes móveis, o que também o faz ser menor que um HDD tradicional.

O SSD também oferece um tempo de acesso menor que o HDD, enquanto o primeiro tem uma taxa de 0,1 ms, o segundo fica em torno de 5,5 a 8 ms. Na hora de realizar um backup, por exemplo, o SSD leva em média 6h contra as 22h necessárias para o HDD.

A durabilidade e a confiabilidade também são diferenciais já que, além de não ter a vida útil reduzida por causa do magnetismo, o SSD apresenta uma taxa de falha menor (de < 0.5% contra de 2% a 5% do HDD).

Servidores Outlets

Todos os pontos aqui levantados levam a uma questão crucial: o nível de exigência de performance. Naturalmente, um servidor com especificações menos robustas vai ter um desempenho menor, mas ele pode ser bem interessante para que não precisa de tanta potência computacional e conhece as especificações que o produto oferece.

Se for o caso da sua empresa, você pode levar em consideração os servidores vendidos no sistema outlet, por exemplo. Por terem configurações menos avançadas e alguns contarem com sistemas operacionais já instalados, eles são ofertados com preços mais baixos que os comumente praticados no mercado.

Qual eu devo escolher, então?

Se você tiver  uma equipe especializada em TI na sua empresa, busque sempre integrá-la às negociações e escute todos os pontos levantados por ela. Caso contrário, procure por consultores que ofereçam um projeto personalizado para o seu negócio.

Quando fizer seu orçamento, solicite ao fornecedor todas as especificações dos produtos oferecidos e avalie criteriosamente se eles são realmente os mais eficientes para a sua operação. Assim você evita ficar preso a contratos que não são interessantes para a empresa e pode usufruir de toda a capacidade de serviços computacionais de que necessita.

Deixe um comentário