Armazenamento profissional: nunca mais sofra com a perda de dados
Maio 28, 2019 Matérias

Armazenamento profissional: nunca mais sofra com a perda de dados

Algumas empresas - como os call centers - lidam com uma quantidade massiva de informações diariamente e precisam ter um armazenamento totalmente escalável e disponível que acompanhe essa demanda.

“Armazenamento cheio. Seus arquivos não estão mais sendo atualizados.”

via GIPHY

Quem nunca viu uma mensagem dessas na tela do smartphone? Com a quantidade de informações, fotos, vídeos, mensagens, aplicativos e demais arquivos que criamos todos os dias, a memória dos aparelhos costuma acabar rapidamente. E aí, nasce a questão: como escolher o que pode ser removido ou não? Apagar o vídeo do aniversário do sobrinho ou aquele aplicativo super legal de edição de fotos?

Todo mundo já passou por esse dilema em algum momento. Mas imagine a seguinte situação: você não apenas não pode remover arquivos para ganhar mais espaço na memória, como também é obrigado a mantê-los guardados. Todo e qualquer arquivo criado precisa ser armazenado em seu smartphone por dois anos.

É o caso dos call centers

O decreto presidencial nº 6523 que regulamenta a Lei no 8.078 trata de algumas normas gerais que empresas de serviços de atendimento ao consumidor devem seguir. Entre as principais diretrizes está a de acompanhamento de demandas que prevê que a empresa tem que fazer a manutenção das chamadas por, no mínimo, 90 dias, e manter o histórico de registros à disposição do cliente por dois anos, pelo menos. O consumidor que exigir esses arquivos deve recebê-los em até 72h.

Digamos que um call center tenha 100 postos de atendimento por turno, com cada operador sendo responsável por em média 60 ligações por dia. No fim de um mês, serão cerca de 180 mil ligações. Em um ano, essa empresa terá mais de 2,1 milhões de gravações que precisarão ser armazenadas e mantidas em um lugar seguro, altamente disponível e por um tempo considerável.

Além do respeito à legislação de defesa do consumidor, a gravação dos atendimentos também pode ser usada como um meio para a análise de qualidade do serviço, sendo um ótimo apoio para a gestão definir pontos de melhoria da operação.

Como comportar tanta informação?

Dentre todos os equipamentos essenciais que um call center precisa para funcionar, está a infraestrutura de tecnologia da informação. Quanto maior a operação, maior será a necessidade de investimento em TI e rede. E um dos investimentos é o de armazenamento ou storage.

A empresa pode optar por criar um espaço destinado ao storage dentro de sua própria estrutura, com hardwares, softwares, instalações e monitoramento próprios. No entanto, conforme o desenvolvimento do negócio, essa estrutura precisará passar por reformas e ampliações – físicas e virtuais – já que  a demanda por ativos computacionais está em constante expansão.

Storage como serviço

Como alternativa, surgem os armazenamentos On-Premise como serviço. Neste tipo de solução, a empresa não precisa adquirir os ativos de storage, passando a investir seu orçamento apenas para operação. Salvando também espaço em sua estrutura física, que pode ser usado para ampliar o atendimento e aumentar a atuação da empresa.

Além disso, muitos benefícios podem ser observados:

Armazenamento Escalável

Ter a possibilidade de contratar mais espaço de armazenamento é muito mais prático e ágil do que adquirir mais equipamentos e fazer novas instalações. Quando a demanda cresce, a empresa vai precisar investir em mais armazenamento e, com o serviço de storage On-Premise, basta contratar mais ativos e eles serão rapidamente disponibilizados para o uso. Por maior que seja a necessidade, o usuário tem a certeza de poder contar com um armazenamento totalmente escalável.

Backup

Imagine que o cliente de um call center solicita o acesso a seu registro de atendimento, a empresa acata o pedido e tem até 72h para enviar as gravações. O agente responsável, então, faz a busca no sistema pelos números de protocolo das chamadas, mas elas não são encontradas em lugar algum. Ao fazer uma pesquisa mais ampla, o agente descobre que meses antes, alguns hardwares foram danificados e o armazenamento comprometido.

Uma situação comum se transforma em um problema enorme para a empresa, que pode ser multada e processada pelo cliente em questão. Tudo isso seria facilmente evitado com um sistema de backup eficiente e automático, que possibilite o espalhamento dos dados em hardwares independentes.

No entanto, manter um backup completo e atualizado dobrará a necessidade por espaço de armazenamento. Mais um ponto em que o storage on-premise pode suprir a necessidade da empresa.

Disaster Recovery

E quando o backup dá errado? A empresa também precisa ter um plano de ação para que, caso algum problema aconteça, os dados armazenados continuem em segurança e altamente disponíveis.

Neste tipo de solução, além do espelhamento dos dados, eles também passam por um espalhamento. Ou seja, eles não ficam salvos em um único local, mas são distribuídos em estruturas independentes geograficamente e igualmente seguras. Garantindo assim que esses dados continuarão disponíveis caso a infraestrutura principal seja abalada.

Proteção de Dados

No entanto, é preciso mais do que armazenamento e backup para garantir a proteção completa dos dados. Investir em segurança na infraestrutura  é imprescindível para evitar ataques e indisponibilidade.

Fisicamente, sua estrutura precisa contar com máxima segurança de controle de acesso, planos de combate a incêndios, eficiência em monitoramento e gerenciamento, segurança de perímetro, redes de conectividade redundantes, alta disponibilidade de energia e climatização adequada.

Já na segurança virtual, é muito importante ter criptografia, firewall, controle de acesso, softwares de segurança atualizados, monitoramento constante, redes virtuais privadas, sistemas de detecção de intrusão, além de treinamento adequado para os profissionais atuantes.

Ao contratar uma solução terceirizada, todos esses investimentos ficam a cargo da empresa contratada, deixando mais tempo, orçamento e espaço livres para serem utilizados em outras necessidades da gestão.

Acordo de SLA

Ao contratar uma solução de armazenamento, a empresa provedora precisa oferecer um acordo de nível de serviço (SLA – Service Level Agreement). Fixado em contrato, esse acordo traz os termos de todos os serviços oferecidos, nível de atendimento, termos de compromisso, prazos de contratos, atendimento de suporte técnico, indicadores de disponibilidade, tempo de resposta, entre outros.

Esse documento é um esclarecimento técnico que garante transparência, produtividade e credibilidade à relação entre contratante e contratado.

Tipos de Soluções

Com uma solução de storage corporativo como serviço, a empresa pode optar por implementar e integrar o sistema de nuvem privada, ou seja, em seu próprio data center. Assim, tendo acesso aos benefícios de escalabilidade e flexibilidade, mas controlando todo o sistema direto de seu próprio local, pagando apenas pela utilização e despesas operacionais.

A segunda opção é a utilização da nuvem híbrida, que mescla a flexibilidade de ter soluções de nuvem disponíveis em todo o mundo com a segurança de manter o sistema em seu data center. Dessa forma, a empresa conta com uma maior mobilidade para a recuperação de dados, backups e até mesmo com auxílio durante as maiores cargas de trabalho.

Por último, existe ainda a nuvem pública, que permite que a empresa explore os benefícios da nuvem sem modificar os aplicativos existentes. Contando com uma arquitetura multi-tenancy, criptografia, recursos dedicados e controle eficiente, a solução pode ser replicada em qualquer parte do mundo, e estar à disposição do usuário com apenas um clique.

Lei Geral de Proteção de Dados

Ao implementar os pontos citados anteriormente, além de alcançar um maior nível de segurança dos dados e conseguir um orçamento mais vantajoso, a empresa também acata algumas diretrizes previstas pela Lei Geral de Proteção de Dados. Por consequência, ficando mais perto de estar em compliance com a lei.

A LGPD versa sobre a regulamentação do uso de dados pessoais de usuários brasileiros por parte de pessoas jurídicas. Todas as empresas precisarão prestar contas do nível de proteção e tratamento que oferece às informações de clientes, funcionários, prestadores de serviços, parceiros, etc. A empresa que infringir as normas estabelecidas pela lei pode ser multada em até 2% de seu faturamento (limitados a R$ 50 milhões por infração) e sofrer sanções. Saiba mais sobre a LGPD clicando aqui.

Ainda não sabe se uma solução de armazenamento corporativo é a melhor solução para a sua empresa? Entre em contato com nossos consultores de soluções e tire suas dúvidas.

Deixe um comentário